terça-feira, 21 de janeiro de 2014

A PEDRA- antonio carlos viera.

O distraído nela tropeçou.
O bruto a usou como projétil.
O empreendedor, com ela, construiu.
O camponês, dela fez assento.
Para meninos, foi brinquedo.
Drummond a poetisou.
David matou Golias.
Michelangelo extraiu-lhe escultura.

Em todos os casos a diferença não esteve na pedra, mas no homem.