quarta-feira, 26 de abril de 2017

AMOR INDEPENDENTE

O amor está mudando de cara, repaginando-se. Aquele amor de "Romeu e Julieta" está com seus dias contados; sacrifício, doação, amor que encheu os corações de romantismo, morrer pelo outro. Amor submisso, encantado, cheio de sofrimento. Amor que tem no homem o provedor, amor dependente, carente, um não fica sem o outro "...naquela base do só vou se você for..." Amor romântico, aquele amor que sentimos por quem atenua nossa sensação de desamparo é ruim, não acrescenta, só suga, desgasta. Esse romantismo está mudando junto com o mundo, deixando de ser aquilo que une, que junta duas metades para ser a aproximação de dois inteiros bem resolvidos e independentes; algo parecido com amizade, com mais afinidade intelectual do que física. Penso que a independência feminina e o avanço tecnológico, que tanto promove o lazer individual, estão fazendo um mundo favorável a pessoas sozinhas. Talvez a outra opção seja a solidão, que há de ser superada pela auto suficiência. Falo da solidão oficial, não aquela que sentimos mesmo quando temos o outro ao nosso lado. Investir em nós mesmos; esse talvez seja o caminho para vivermos o amor desse século, o que, afinal , está longe de ser ruim. E talvez seja essa a nova cara do amor: pessoas que conseguem ser felizes sem o outro, pois se bastam.

FINAL DO DIA

Bagaço,

cansaço,

um pedaço.


Dormir assim,

a cama toda só pra mim.

segunda-feira, 24 de abril de 2017

ÂNGELA CRISTINA


Amigo pra toda vida nem sempre é amigo que passa a vida junto de nós, ao nosso lado, mas sim aquele que está, pra vida toda, em nosso coração, em nossas melhores lembranças, nos momentos mais bonitos e gostosos da nossa história, desde quando começamos a escrevê-la , antes mesmo de sabermos quem éramos. São parte dela, portanto.
Amiga que dividiu a carteira na escola e também o lanche no recreio. Amiga que olha e sabe o que pensamos, o que planejamos, amiga que na adolescência dividiu emoções, confidências, que mentiu junto, sofreu junto, sonhou junto, vibrou e chorou junto cada perda, cada conquista.
Amiga que me ensinou, mais tarde,tudo o que tinha aprendido na faculdade, como comer corretamente, se cuidar, ficar mais bonita e feliz. Coisas que o tempo não leva, por mais cruel que seja!
E assim aconteceu: o tempo passou e nunca, jamais me esqueci de você; do seu jeito diverido, espirituoso, irreverente, sincero e inteligente. Sinto muita saudade e sei que você também.
Um forte abraço, minha melhor amiga!

segunda-feira, 17 de abril de 2017

NECESSIDADE



Necessidade de quê?

O frio, de abrigo.
Do abraço,
o amigo.

O pão, de fermento,
Da mãe, o rebento.

O remorso, de perdão.
Da Maria, o João.

O alimento, de sabor,
Do remédio, a dor.

O circo, de magia.
Da rima, a poesia.

Eu, de você.

sábado, 8 de abril de 2017

QUINTAL


O fundo do quintal é pura magia : toca de piratas, mapa do tesouro, cavalinho de pau, briga com monstros, estilingue, bolinha de gude, esconderijo.
O fundo do quintal é reino encantado: subir na mangueira é chegar perto do céu. No abacateiro, frutos, histórias e sonhos.
O fundo do quintal é pura emoção: perigo, segredos, bandido, mocinho, tempestades, lutas e o homem de cem milhões de dólares.
O fundo do quintal guarda o barulho dos meninos que sonham alto. Barulho que nunca se acaba, pois fica guardado na memória do coração.
Como será que o menino de hoje vive sem o quintal? Onde será que ele guarda seu mundo e esconde seus medos?

quinta-feira, 6 de abril de 2017

MINHAS MENINAS




São duas meninas lindas
mas são muito diferentes.
Elas enchem de orgulho
o coração da gente.
Às vezes trocavam de nome
para a mãe confundir.
Quando chamava a mais nova,
quem vinha era a outra, a sorrir.
Uma é óleo, outra é água, acreditem!
Uma se parece com a mãe, dizem
a outra lembra o pai também.
Uma fala demais, gesticula, interpreta
a outra é mais quieta.
Uma só come a casca do pão
a outra come o miolo, por que não?
Uma só ¨pink¨queria usar
A outra, só cinza queria comprar.
Mudar minhas meninas, nem mesmo tente
pois cada qual tem seu encanto.
Uma é sãopaulina doente
A outra torce pro Santos.
Uma adora curtir o momento
a outra planeja, pondera, sente.
São cheias de talento
mas são muito diferentes
São duas meninas lindas

que aprenderam a ser gente.

SENTIMENTO


Sentimento suave, a paz é um suspiro gostoso, peito cheio, olhos fechados, lábios sorrindo. É acordar sem relógio pra ajudar, espreguiçar, é barriga alimentada, corpo acarinhado, leeeve e solto, querendo dançar, no céu com as pipas, é piquenique com toalha xadrez, uma pelada com os amigos, um abraço que conforta, é se encantar com o pôr do sol. Sentir-se em paz é nobre e grande.