domingo, 14 de agosto de 2016

PAIS


Vamos celebrar os pais. Pai e mãe são igualmente importantes e necessários na vida um filho.

Vamos celebrar os pais sensíveis, que nascem junto com seus filhos, e que se tornam fortes e corajosos, quando lutam bravamente para conviver com eles.

Vamos celebrar os pais que dão equilíbrio, que conhecem seus filhos porque convivem com eles, sabem do que gostam, conhecem sua comida preferida, o melhor amigo, os pais que sabem até onde seus filhos vão sozinhos e a partir de onde podem e devem se fazer presentes para ajuda-los a crescer e se desenvolver.

Vamos celebrar os pais que são bobos, que brincam, viram crianças com seus filhos, sem se esquecer que pais também corrigem, impõem limites, cobram.

Vamos celebrar os pais que compartilham do trabalho doméstico e de seus problemas, dos desafios de cada dia, da educação escolar de seus filhos.

Vamos celebrar os pais engraçados, bem humorados, pois ensinam seus filhos a rir da vida, a serem mais leves e menos estressados, pois a vida exige mesmo de vez em quando que a gente ria dela.

Vamos celebrar os pais que sabem ouvir com atenção o que os filhos têm pra contar, que demonstram seus sentimentos, que sabem chorar, que soltam pipa, que vão na cama dar boa noite.  

Tenham todos um lindo e feliz dia dos pais, bem pertinho de seus filhos. Um grande abraço.

 

sábado, 13 de agosto de 2016

CAFÉ DA MANHÃ


Bom dia, pai,
vamos tomar um café juntos?
Temos tantos assuntos
que estão atrasados.
São tantos anos passados!
O café está fresquinho,
precisamos conversar,
fica mais um minutinho.
Quase tudo está mudado,
vou lhe contar um segredo:
às vezes dá até medo
de sair por aí, pela rua!
Por favor, me passe o queijo.
Ainda vê coelhinhos na lua?
Sinto falta do seu beijo!
Coma, o pão está quente.
Todos brigam por seu bocado
e nunca parecem contentes.
Eu sei que está assustado
com essa tecnologia
e com tanta correria.
Não vá já, não,
fique mais com sua filha.
Vem, me dê a mão, 
conheça o resto da sua família!
Me dê um abraço,
não vá já, não,
alivie meu cansaço.
Depois te levo até o portão!

domingo, 8 de maio de 2016

MÃE carlos drummond de andrade

Por que Deus permite
que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não apaga
quando sopra o vento
e chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento.
Morrer acontece
com o que é breve e passa
sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça,
é eternidade.
Por que Deus se lembra
_ mistério profundo _
de tirá-la um dia?
Fosse eu o Rei do Mundo,
baixava uma lei:
Mãe não morre nunca,
mãe ficará para sempre
junto de seu filho
e ele, velho, embora,
será pequenino
feito grão de milho.

LAMENTO

Ah, minha mãe querida,
quanto tempo sem dividirmos a vida!
O que eu não faria
por só meia hora...
só o tempo de um abraço
e de aliviar meu cansaço.
O que eu não daria
pra ter agora
só um pouco do seu colo.
Voltar a minha raiz,
alimentar meu solo
e, de novo, ser feliz.

domingo, 1 de maio de 2016

O PÃO DE CADA DIA.


Trabalhar é fazer a diferença, é deixar nossa marca por onde passamos, acrescentar um pouco na vida daqueles com os quais convivemos.
Trabalhar com prazer: esse é o grande desafio, o resto é consequência, brota, acontece. Esse prazer pode vir com o reconhecimento ou com o salário justo, mas, principalmente, creio, quando gostamos do que fazemos. Assim tudo fica mais interessante e leve. Fazer o que se gosta é meio caminho pra se fazer bem feito!
Trabalhar com crianças é treino diário com as emoções, com o auto-controle. Meus alunos me mostram a vida por outro ângulo, são mais cigarrinhas do que formigas, menos obstinados, conseguem encontrar prazer nas pequenas coisas. Riem mais, não guardam mágoa: brigam e no recreio dividem o lanche, brincam juntos.
Dia desses me encontrei com uma aluna que não via há muitos anos. Tá uma moça linda a Bruna. Ficamos conversando. "Se não fosse por você, talvez tivesse me tornado outra pessoa", ela me disse, toda carinhosa.
Então fiquei pensando que o contrário também pode acontecer: quanto mal podemos fazer aos pequenos com nosso rancor, nosso mau humor e insatisfação! Como queremos ser lembrados por eles?  A sala de aula é só o começo; ali eles são iguais, têm os mesmos direitos, compartilham o mesmo espaço, são pequenos cidadãos. Depois, a vida cuida de traçar seus rumos. E são tristes, muitas vezes.
Tenho meus alunos guardados em minhas melhores e mais gostosas lembranças, fazem parte de minhas conquistas.
Sempre aparecem, me trazendo o convite de formatura ou pedindo um pouco de alimento. Nos sentamos na área de casa pra conversar e relembrar como era gostosa a nossa classe.

quarta-feira, 27 de abril de 2016

LIBERDADE

Liberdade é algo precioso, sensação boa de poder impor os próprios limites,  como se a terra estivesse a nosso serviço. Liberdade para escolher, pra ir e vir, pra arriscar e pra tentar de novo, pra vencer ou pra perder. Autonomia. Todos nascemos livres e assim devemos viver!

segunda-feira, 4 de abril de 2016

DEPENDE

O fácil pode ser difícil, depende da habilidade que se tem.

O pouco pode ser muito, depende do que vem, se o doce ou o amargo.

O frio pode ser quente, depende da roupa que a gente veste.

O longe pode ficar perto, depende de quem se vai encontrar.

A lua cheia também pode minguar, depende da noite em que a estamos a olhar.

O grande pode ficar pequeno, depende do lado de quem ele está.