terça-feira, 17 de abril de 2012

RECEITA DE FAMÍLIA

Ideal para um lanche à tarde, esse pão é bem simples de fazer e dispensa acompanhamentos porque é completo. Combina com suco, refri, cerveja. É delicioso quentinho, com o queijo derretendo e também é gostoso frio. Conheço gente que come até gelado! É uma receita grande, dá três pães. O cheiro, quando sai do forno, faz a gente respirar fundo.

Sanduíche americano
Ingredientes: 1 xícara de leite, 2 xícaras de farinha de trigo, 100g de fermento biológico, 2 ovos, meia xícara de margarina, 1 colherinha de açúcar, sal e 3 xícaras de farinha de trigo, ou um pouquinho mais, se precisar para a massa não grudar nas mãos, 500g de presunto e 500g de mussarela, molho de tomate e 4 tomates.

Modo de fazer: misture bem o leite com 2 xícaras de farinha e com o fermento e deixe descansar uns 20 minutos, até a massa crescer. Acrescente 2 ovos (claras em neve), meia xícara de margarina, o açúcar, sal e as 3 xícaras de farinha ou um pouquinho mais. Amasse bem, até a massa se soltar das mãos e ficar bem homogênea; divida a massa em 3 partes ou em duas, se preferir dois pães maiores. Em uma superfície lisa, espalhe um pouco de farinha -só pra massa não grudar-e abra cada uma das partes com a ajuda de um rolo , passe margarina, coloque o molho de tomate, presunto, queijo e tomates cortados em rodelas fininhas, temperadas com um pouquinho de sal. Enrole, passe gema e leve para assar em forno já aquecido. Os pães crescem bastante. Bom apetite!

AFETIVIDADE E APRENDIZAGEM

Para a aprendizagem acontecer é preciso que o desenvolvimento cognitivo caminhe junto com o afetivo e o social, pois há uma relação muito forte e direta entre a inteligência e a afetividade, influenciadas pela socialização.
A criança que não está emocionalmente bem, que está infeliz, insegura, com problemas ou revoltada, tem muito mais dificuldade em aprender e em conviver com o mundo que a cerca, pois seu desenvolvimento geral está comprometido, a medida em que suas preocupações infelizes podem canalizar suas energias.
O afeto é necessário na formação de pessoas felizes, éticas e sociáveis. Esse afeto pode e deve ser demonstrado de muitas formas no relacionamento do educador com seu aluno, dentro e fora do ambiente escolar; é também fazer-se próximo, ter tempo para ouvir, valorizar e acreditar nas opiniões e sugestões; é acompanhar e tornar possível o desenvolvimento. O afeto deve nutrir as ações de um modo geral. O carinho faz parte da trajetória e é também uma dessas formas de afeto, mas está longe de ser a única.
Afetividade no ambiente escolar é reconhecer o aluno como indivíduo autônomo, com experiência própria de vida, respeitando suas preferências e desejos, ainda que sejam bem diferentes das do professor.
Quando acontece o desenvolvimento social e cultural a criança aprende que pode contar consigo, que é capaz, que faz parte do mundo e que pode ajudar a fazer a diferença, que vale a pena tentar!