segunda-feira, 17 de março de 2008

PRA VIDA TODA



As amigas das minhas filhas se tornaram um pouquinho minhas amigas e filhas também. Com algumas perdi o contato, com outras vivo esbarrando, tem as que só encontro de vez em quando e é sempre muito gostoso quando acontece: lembranças, risadas, assuntos, comentários, notícias; rapidinho tenho a sensação de estar em casa.
São amizades da infância, da adolescência, da vida toda. Algumas delas são parte da família desde bem pequeninas, outras chegaram depois; todas muito queridas.
Me lembro daquelas coisicas que até outro dia brincavam de Barbie lá em casa, que durante anos eu levei e trouxe da escola, que detonavam os brigadeiros nas festinhas de aniversário, que tantas artes faziam, que juntas faziam a lição de casa e iam pras aulas de catecismo. Juntas também, trocaram a Barbie por outros sonhos.
As meninas, agora, são lindas mulheres, conhecem a responsabilidade, a saudade, a decepção, a conquista, talvez o fracasso, a solidão, o amor.
Marina, Lilian, Carla, Thaís, Mileni, Dani, Luise, Olívia, Gabi, Rê, Aline, Maria, Juliana, Lenira, Ivana, Jú, Dãni, Nana, vocês são meninas mulheres guardadas em meu coração.