sábado, 11 de janeiro de 2014

GRAVADOR patativa do assaré




Gravador que estás gravando
aqui no nosso ambiente,
tu gravas a minha voz,
o meu verso, o meu repente
mas, gravador, tu não gravas
a dor que o meu peito sente.

Tu gravas em tuas fitas
com a maior perfeição
o timbre da minha voz
e a minha fraca expressão,
mas não gravas a dor
gravada em meu coração.

Gravador, tu és feliz,
e, ai de mim, o que esperar?
Bem pode ser desgravado
quem em tua fita está.
E a dor do meu coração
jamais se desgravará.

Nenhum comentário: